Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Artigos > Análise da Produção Bibliográfica e Rede de Coautoria da UFABC
Início do conteúdo da página

Análise da Produção Bibliográfica e Rede de Coautoria da UFABC

Publicado: Segunda, 24 de Junho de 2013, 15h20

A UFABC é uma universidade que tem a interdisciplinaridade como um de seus principais fundamentos [1].


Um dos principais vetores da atuação interdisciplinar são os seus bacharelados interdisciplinares (BIs), que rapidamente estão se tornando um novo paradigma para a educação superior brasileira. Além dos BIs, a atuação interdisciplinar também é incentivada no âmbito da pesquisa e da extensão [2]. Importante frisar, nesse contexto, que a atuação interdisciplinar não significa a negação das disciplinas como as conhecemos. Ao contrário, para que uma atuação interdisciplinar seja bem sucedida, ela deve se basear em sólidos pilares disciplinares, fundamentados nas bases da ciência moderna.

A atuação interdisciplinar é um conceito difícil de ser mensurado. Em geral, a estrutura interdisciplinar do conhecimento tem recebido pouca atenção na literatura, provavelmente devido à dificuldade em quantificar quão interdisciplinar é um determinado tema ou uma parte de um trabalho científico [3]. Atualmente, não há um parâmetro único que diga se a UFABC, ou qualquer outra universidade, está tendo sucesso na atuação interdisciplinar pretendida. Contudo, é necessário estudar e tentar medir a interdisciplinaridade para que ações concretas possam ser tomadas para instruir o caminho da instituição no futuro.

A intensidade da atuação interdisciplinar pode ser medida, por exemplo, através de uma análise da rede de colaborações (i.e., coautoria acadêmica) dos docentes da instituição. Trabalhos publicados envolvendo somente um docente da UFABC tendem a ser mais disciplinares, enquanto que trabalhos colaborativos, envolvendo mais de um docente da mesma instituição, tem um potencial maior de serem efetivamente trabalhos interdisciplinares. Foi pensando nesta avaliação que realizamos o presente estudo, que visa analisar a rede de colaborações (em termos de coautoria) entre todos os docentes da UFABC.

Sobre a produção bibliográfica


Para realizar este estudo, utilizamos o scriptLattes [4], que permitiu extrair automaticamente todas as produções bibliográficas publicadas entre 2006 e 2012, e cadastradas na Plataforma Lattes1. O programa foi utilizado para analisar a produção científica de todos os professores da UFABC no que tange produções bibliográficas relacionadas com: (i) Artigos completos publicados em periódicos, (ii) Livros publicados/organizados ou edições, (iii) Capítulos de livros publicados, (iv) Textos em jornais de notícias/revistas, (v) Trabalhos completos publicados em anais de congressos, (vi) Resumos expandidos publicados em anais de congressos, e (vii) Resumos publicados em anais de congressos. Outras informações como orientações, co-orientações, participações em projetos, bancas, e produções técnicas ou artísticas não estão sendo consideradas.

Na Figura 1 apresentamos a produção bibliográfica da UFABC discretizada por anos e tipos de produção. O número de artigos completos publicados em periódicos apresenta o maior crescimento entre todos os tipos de produção bibliográfica.

figura1-artigo-dalpian
Figura 1: Produção bibliográfica dos docentes da UFABC no período 2006-2012.


Sobre a rede de coautoria endógena

Adicionalmente, foi construída a rede de coautoria endógena (intra- e inter-centros), considerando o período de permanência de cada professor na UFABC, i.e., foram criadas as redes de colaboração entre todos os docentes da UFABC, bem como as redes intrínsecas a cada centro. É possível quantificar o número de trabalhos que um certo docente possui, e quantos trabalhos conjuntos ele realizou. É importante frisar que caso alguma aresta não esteja presente na rede de colaboração, provavelmente é porque os coautores cadastraram a publicação de forma diferente em seu Currículo Lattes. Nesse sentido, é importante que as informações cadastradas na Plataforma Lattes seja as mais exatas possível.

De forma geral, observamos que a UFABC, nesses 7 anos de existência, já possui diversos núcleos colaborativos (clusters) bem estruturados nos três centros, apesar da interação entre docentes de centros diferentes ser relativamente pequena. A Figura 2a, indica o número de colaborações dentro de um centro (laços fechados), e também entre diferentes centros (linhas retas). Os dados mostram que o conjunto dos professores associados ao CECS é o mais colaborativo, em termos de coautoria endogena, com os outros dois centros. Outras figuras, apresentando informações mais detalhadas e complementares, podem ser encontradas no documento de informações complementares [5].


figura2-artigo-dalpian             figura3-artigo-dalpian                   
                                (a)                                                                                (b)

Figura 2: Número de colaborações intra e inter-centros da UFABC no período 2006-2012: (a) Os pesos nos laços indica o número de colaborações únicas entre professores. (b) Os pesos nos laços foram normalizados pelo número total de professores (nos auto-laços), e pelo número total de possíveis colaboradores (nos laços entre centros).

Sobre a rede de coautoria exógena


A fim de investigar a inserção de colaboração, no âmbito nacional, dos docentes que passaram ou atualmente estão associados à UFABC, foram identificados automaticamente todos os colaboradores (coautores) cadastrados em cada Currículo Lattes. Ao todo foram identificados 3.775 pesquisadores externos, cadastrados na Plataforma Lattes, e que colaboram ou colaboraram com os 564 professores que passaram ou atualmente estão associados à UFABC. Na Figura 3a mostra-se o agrupamento de todos os nós associados a cada centro interdisciplinar. Essa visualização permite investigar (i) como as colaborações são realizadas entre os centros, e (ii) como os colaboradores externos interagem com os centros.

Neste experimento foram desconsiderados os períodos de permanência de cada professor. Assim, estão sendo tratadas os coautores únicos de cada professor. É importante salientar que esta rede de coautoria mantém somente um subconjunto das colaborações reais entre os professores e seus colaboradores. Os coautores considerados são aqueles que tem cadastro na Plataforma Lattes e o professor identificou como colaborador no próprio Currículo. Assim, para este experimento, os colaboradores internacionais não estão sendo considerados.

O grau médio de colaboração entre todos os professores da UFABC que colaboraram é de 11,15. O maior grau de colaboração identificado foi de 118, e a grau médio de colaboração por centro foi de 16,86 (CCNH), 9,21 (CECS) e 6,44 (CMCC). Na Figura 3b mostra-se um histograma dos graus de colaboração dos 564 professores considerados nesta análise.


figura4-artigo-dalpianfigura6-artigo-dalpian                  
figura5-artigo-dalpian
                        (a)                                                                                                                     (b)

Figura 3: Colaboração exógena dos professores da UFABC com pesquisadores externos: (a) Rede de coautoria. O tamanho do nó associado a cada centro é proporcional ao número de colaborações. (b) histograma de colaborações. O eixo vertical representa o número de professores.

Considerações finais

Mais detalhes podem ser encontrados no seguinte documento de informações complementares[5]. São apresentados todos os dados relacionados à produção anual dos docentes da UFABC como um todo e também de cada um dos centros da UFABC. A coautoria acadêmica apresentada neste trabalho permite obter uma radiografia de como seus docentes estão interagindo.

Os dados apresentados são uma importante ferramenta de planejamento para os centros que, em coordenação com os outros setores da UFABC, devem buscar formas de incentivar seus docentes a atuarem seguindo os preceitos interdisciplinares da UFABC. Uma versão prévia deste trabalho foi apresentado no simpósio de pesquisa do Grande ABC [6].


Jesús P. Mena-Chalco (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)
Gustavo M. Dalpian (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)
Klaus W. Capelle (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

Referências
[1] Universidade Federal do ABC. Projeto pedagógico. 2006. URL: http://antigo.ufabc.edu.br/index.php?option=com_content&view=article&id=21
[2] C.B. NATAL et al. UFABC 5 anos: um novo projeto universitário para o Brasil. Santo André, Universidade Federal do ABC, 2011.
[3] A. Van Raan. Practising Interdisciplinarity, chap. The interdisciplinary nature of science: theoretical framework and bibliometric-empirical approach, 66 78. University of Toronto Press Toronto, 2000.
[4] J. P. Mena-Chalco & R. M. Cesar-Jr. scriptLattes: An open-source knowledge extraction system from the Lattes Platform. Journal of the Brazilian Computer Society, 15(4):31-39, 2009.
[5] J. P. Mena-Chalco, G. M. Dalpian & K. W. Capelle. Mapeamento da Produção Bibliográfica da UFABC no período 2006-2012. URL: http://professor.ufabc.edu.br/~jesus.mena/scl-ufabc/ufabc-mapeamento.pdf
[6] J. P. Mena-Chalco, K. W. Capelle & G. M. Dalpian. Rede de coautoria acadêmica da UFABC. In Simpósio de Pesquisa do Grande ABC, páginas 1-2, São Bernardo do Campo/SP, 2012. URL: http://professor.ufabc.edu.br/~jesus.mena/publications/pdf/coautoria-academica-ufabc.pdf
___________________________________
1 A qualidade/completude dos dados apresentando neste trabalho está relacionada à qualidade/completude dos dados cadastrados na Plataforma Lattes.


24 de junho de 2013









Registrado em: Artigos
Fim do conteúdo da página