Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Artigos > Discurso do Reitor da UFABC
Início do conteúdo da página

Discurso do Reitor da UFABC

Publicado: Quarta, 10 de Setembro de 2008, 11h44

Texto do discurso do reitor Adalberto Fazzio, proferido durante a inauguração do Bloco B em 29 de agosto.

Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, Excelentíssimo Senhor Ministro de Estado da Educação, Fernando Haddad, Senhor Secretário de Educação Superior, Ronaldo Mota, Senhor Deputado Federal, Arlindo Chinaglia, Excelentíssimo Senhor Prefeito do Município de Santo André, João Avamileno, demais autoridades presentes, funcionários, alunos e professores da UFABC, a toda a comunidade, boa tarde.

Senhor Presidente, em nome de toda a comunidade da UFABC, gostaria de, primeiramente, agradecer a visita e o apoio que seu governo vem dando a esta importante universidade. Também gostaria de parabenizar toda a equipe do Ministério da Educação, em particular o Ministro Fernando Haddad, pelo excelente trabalho que vem executando para a melhoria da Educação no Brasil. O sucesso deve-se, no meu entender, à sua visão sistêmica da educação, como uma preocupação desde a pré-escola, passando pelo ensino fundamental, ensino médio e ensino superior, atingindo a pós-graduação. Aqui, destaco o sucesso de programas como REUNI, ProUni, CAPES / Ensino Médio, que hoje atende também ao ensino fundamental etc. Esses programas estão levando a grandes mudanças estruturais e pedagógicas em nossas universidades. Posso afirmar que, em meus 30 anos no magistério superior nunca tivemos tantas oportunidades de realização na Educação.

Hoje, há uma preocupação em todo o mundo de como reformar nossas universidades para que se adaptem às rápidas mudanças que ocorrem nas ciências e na tecnologia. Em uma sociedade que cada vez mais discute temas das mais diversas áreas do conhecimento, como questões ambientais, células-tronco, nanotecnologia, bioenergia etc., precisamos formar cidadãos e cidadãs cada vez mais preparados para apreciar os riscos e/ou benefícios da inovação. As universidades brasileiras, na atual estrutura de departamentos disciplinares, tornam-se cada vez mais incapazes de proporcionar uma formação adequada para encarar as grandes mudanças.

Todos os exemplos que acima listei são de caráter temático, não disciplinar. É difícil pensar na universidade ideal para enfrentar os desafios do século XXI, entretanto, uma visão geral e uma abordagem interdisciplinar são ingredientes fundamentais. A Universidade Federal do ABC nasceu com esses ingredientes. Uma universidade inspirada no desejo da Academia e que teve como grande líder na sua formação o professor Luiz Bevilacqua.

A UFABC figura entre as pouquíssimas universidades públicas brasileiras que foram criadas a partir de um formato inovador. A adoção do modelo de Centros multidisciplinares, em vez do tradicional sistema de unidades universitárias subdivididas em departamentos, faz da UFABC uma experiência a ser exposta ao País. Nesse aspecto, "a UFABC foi transgressora e deverá ser precursora de um formato a ser adotado por outras universidades", como já mencionou o colega reitor da Universidade Federal da Bahia, professor Naomar Monteiro de Almeida Filho.

Pode-se dizer que A UFABC, na altura de seus dois anos de criação, já atingiu estágios próprios de universidades em plena maturidade. Dois aspectos fundamentais para uma vida universitária saudável confirmam essa precoce conquista. Um deles é o fato de que todos os professores possuem o título de doutor - talvez inédito dentre as universidades brasileiras. Acresça-se a isso um predicado: o quadro de docentes da UFABC é composto, em sua maioria, de jovens pesquisadores - portanto, com um imenso potencial científico - e, também, por professores experientes e reconhecidos. Ou seja, tem-se um corpo docente ao mesmo tempo diverso e harmônico, promissor e experiente. Hoje temos vários projetos de jovens pesquisadores da FAPESP e muitos bolsistas de produtividade do CNPq. E aqui, vale destacar que a vencedora da melhor tese CAPES de 2007 hoje é nossa professora, a senhora Gordana Manic. A Academia Brasileira de Ciências escolheu em cada região do país jovens cientistas para seu quadro. Na região sudeste, foi indicado o Doutor Alexandre Rocha, também professor de nossa universidade, da área de Simulação Computacional em Nanomateriais. Mais uma virtude precoce da UFABC é a pós-graduação. Não há precedentes na história da universidade brasileira de uma instituição que, com apenas 2 anos de existência, tenha conseguido instalar tantos programas de mestrado e doutoramento.

A UFABC é dotada de uma estrutura maleável e aberta, com somente três grandes centros voltados para as engenharias, ciências naturais e humanas, matemática, computação e cognição. Uma universidade criada no seu governo há pouco mais de dois anos, onde a interdisciplinaridade é a regra e não a exceção, já conta com cerca de 2.000 alunos nos cursos de graduação e cerca de 150 na pós-graduação, em diferentes áreas.

O aluno, quando ingressa, cursa o Bacharelado em Ciência e Tecnologia. Após seu término, poderá optar por outra graduação em 5 bacharelados (Física, Química, Biologia, Matemática e Computação), além das licenciaturas nessas áreas e 8 engenharias (Ambiental e Urbana, Aeroespacial, Bioengenharia, de Energia, de Gestão, de Instrumentação, Automação e Robótica, de Materiais, de Informação). Nosso vestibular oferece 1.500 vagas, divididas, igualmente, entre diurno e noturno e 750 dessas são reservadas para alunos que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas. Dentre essas, há, ainda, reservas para cotas étnicas. E dentro das 1.500 vagas, 500 estão reservadas para alunos que obtiveram um desempenho igual ou superior a 90% no ENEM.

O campus de Santo André terá uma área total de aproximadamente 77 mil m2 e o Bloco B, que hoje se inaugura, tem 12.734 m² de área construída, abrigando laboratórios de pesquisa e ensino de alta qualidade, 8 salas de informática com 32 computadores cada, 600 computadores distribuídos entre professores, técnicos-administrativos e alunos da pós-graduação, com rede de transmissão com capacidade de até 10 gigabytes, servidores de dados com 11 lâminas de processadores dualcore e disco de 15 TB, além de computadores dedicados à computação de alto desempenho.

Apesar da expressiva contribuição para a ciência mundial, a universidade brasileira ainda é vista no país, de forma equivocada, como uma instituição isolada da sociedade, feita por poucos e para poucos. Aqui destacamos as ações pró-ativas de nossa pró-reitoria de extensão, no que diz respeito a ações específicas junto à comunidade da região do ABC, como cursos de especialização para gestores e professores de ensino fundamental e ensino médio, programas junto a prefeituras e muitos outros. A região do ABC paulista está diretamente associada ao desenvolvimento industrial do País. A UFABC ajudará a introduzir uma nova virtude à região: a de contribuir para o desenvolvimento da ciência, da tecnologia e da inovação.

Finalizo agradecendo aos atores que contribuíram para o crescimento da UFABC: ao Professor Hermano Tavares, nosso primeiro Reitor. Ao Professor Luiz Bevilacqua, o coordenador desse projeto, incansável na batalha pelo sucesso dessa universidade e que, recentemente, deixou a Reitoria, mas será Coordenador do Núcleo de Sistemas Complexos e Cognição. À Professora Adelaide Faljoni-Alario, nossa Vice-reitora. À equipe do Corpo de Bombeiros, em nome do Tenente Coronel Valdeir Rodrigues Vasconcelos. Aos prefeitos das cidades de Santo André e São Bernardo do Campo, que sempre tem nos apoiado. Aos professores e funcionários e a toda a comunidade da UFABC.

Senhor Presidente, Senhor Ministro: não podemos falhar!


Adalberto Fazzio
Reitor da Universidade Federal do ABC

Registrado em: Artigos
Fim do conteúdo da página