Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Projeto avalia tratamento dos resíduos sólidos no pós-pandemia
Início do conteúdo da página

Projeto avalia tratamento dos resíduos sólidos no pós-pandemia

Publicado: Sexta, 08 de Mai de 2020, 14h59

Como separar o lixo doméstico durante a pandemia da Covid-19? O que será da coleta seletiva após esse período? O grupo de pesquisa Resíduos Sólidos Urbanos, vinculado ao Programa de Ciência e Tecnologia Ambiental da UFABC, tem se debruçado sobre essas questões. Para tanto, desenvolve o projeto Soluções para o gerenciamento e tratamento de resíduos sólidos urbanos após proliferação da Covid-19. A ação conta com o apoio de servidores da Prefeitura Universitária.

A professora Giuliana Mondelli, coordenadora do projeto, aponta que não tem sido frequente a abordagem pela mídia sobre a separação de resíduos sólidos nas residências neste contexto, embora seja evidente a relação entre a propagação de Covid-19 e a falta de saneamento básico nas cidades. Tendo em vista a gravidade desse problema, sua equipe se dedica a levantar como têm contribuído municípios, em diferentes partes do mundo e com distintos níveis de desenvolvimento, para o gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos neste momento de pandemia.

Os resultados da pesquisa poderão ser comparados aos desafios enfrentados pelas cidades brasileiras nesse campo. Muitos municípios do país já suspenderam a coleta seletiva. Em São Paulo, a cidade com maior número de infectados, permanecem em funcionamento apenas as centrais mecanizadas de triagem, pois não dependem do trabalho de seres humanos para a separação final dos resíduos recicláveis que vão para as indústrias.

Para além dessas medidas, o estudo se preocupa também com medidas de proteção a todas as pessoas envolvidas com a coleta de resíduos sólidos urbanos: os funcionários dos condomínios, os garis, em serviço essencial, e os coletores informais que, ainda mais vulnerabilizados socioeconomicamente nessa conjuntura, arriscam-se à procura de materiais nos sacos de lixo depositados diante das casas e edifícios.

Estudos já apontaram que a sobrevida do vírus é de até cinco 5 horas em papéis e em plásticos. Dessa forma, para proteger toda a cadeia de profissionais envolvidos com a coleta de resíduos, Mondelli recomenda: em residências onde há casos suspeitos ou confirmados da Covid-19, é importante a utilização de dois sacos plásticos para o descarte dos materiais, bem como a identificação de que o lixo está contaminado.

Enquanto pesquisadores estudam caminhos para o gerenciamento e o tratamento dos resíduos sólidos após a pandemia, é fundamental que, desde já, seja realizado de forma responsável o descarte do lixo gerado diariamente pela população.

Confira o vídeo preparado pela equipe do projeto em: https://youtu.be/qy-wyDNo4eo

Assessoria de Comunicação e Imprensa

Registrado em: Notícias
Marcador(es):
Fim do conteúdo da página