Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Trabalho de pesquisadora da UFABC ganha destaque no Japão
Início do conteúdo da página

Trabalho de pesquisadora da UFABC ganha destaque no Japão

Publicado: Terça, 01 de Novembro de 2016, 11h48

Ex-professora visitante e atual matriculada no pós-doc da UFABC, Marina Sparvoli foi selecionada para apresentar estudo sobre células solares na Universidade de Nagoya, no Japão, uma das prestigiosas instituições de ensino superior do mundo. A apresentação no país asiático é um dos desdobramentos do acordo bilateral da Fapesp que visa o intercâmbio entre pesquisadores nacionais e japoneses.

“Primeiro saiu uma chamada através da sociedade brasileira de física, e os interessados deveriam mandar e-mail para o coordenador explicando seu trabalho e as linhas de pesquisa. Ele decidiria se o candidato seria aceito”, disse Sparvoli. Ao contrário de boa parte de seus colegas brasileiros que estiveram em Nagoya – a maioria teóricos -, a professora é uma pesquisadora experimental, o que chamou a atenção dos cientistas locais. “Para eles, é interessante cooperar com alguém com esse perfil”, acrescentou.

De acordo com Sparvoli, o seu estudo com óxido de grafeno se relacionou de forma harmoniosa com a temática do congresso na Universidade de Nagoya, todo voltado para a produção de energia de forma química ou biológica. “Inclusive no dia da minha palestra, uma professora de lá fez apresentação de células solares com corante de flores (também experimental)”, contou.

Ela quer continuar os estudos sobre células solares e sensores fotossensíveis e a pesquisa em obtenção de novos materiais, principalmente envolvendo grafeno. “Meu foco principal agora é trabalhar com memórias resistivas de óxido de grafeno, tema do meu trabalho de pós-doc na Computação. Eu já obtive os dispositivos com sucesso e tive que pensar nos próximos passos, que seriam implantar uma arquitetura integrando diversas memórias e também desenvolver um software para medidas dessas memórias”, afirmou.

A pesquisadora ganhou também prêmio concedido pela Agência de Inovação da UFABC por trabalho patenteado neste ano. O trabalho foi realizado em parceria com químico da USP.

Assessoria de Comunicação e Imprensa

Registrado em: Notícias
Fim do conteúdo da página