Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Divulgação Científica > Destaques > Pesquisa propõe métodos e ferramentas para avaliação de sistemas de recuperação energética na gestão de resíduos sólidos
Início do conteúdo da página

Pesquisa propõe métodos e ferramentas para avaliação de sistemas de recuperação energética na gestão de resíduos sólidos

Projeto é um dos primeiros aprovados pela FAPESP, sob coordenação de docentes da UFABC, no âmbito do Programa de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE)

 

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) aprovou recentemente, pela primeira vez, projetos coordenados por docentes da UFABC no âmbito do Programa de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE).

Um dos projetos aprovados é intitulado "Proposta de métodos e ferramentas para avaliação do potencial dos sistemas de recuperação energética na gestão integrada de resíduos sólidos municipais aplicados aos municípios de Santo André e Itaquaquecetuba". A coordenadora é a Profa. Dra. Juliana Tófano de Campos Leite, do Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas (CECS).

Segundo a FAPESP, o objetivo do PITE é intensificar o relacionamento entre universidades e empresas, por meio de projetos de pesquisa cooperativos e cofinanciados. O programa oferece apoio financeiro a projetos de instituições de ensino e pesquisa no Estado de São Paulo, desenvolvidos em cooperação e cofinanciamento com centros de pesquisa de empresas parceiras, localizadas no Brasil ou no exterior. 

 

Sobre o projeto de pesquisa 

Um dos maiores desafios impostos a nações de todo o mundo, neste século, é o crescimento econômico aliado ao desenvolvimento sustentável. Nesse cenário, a diversificação da matriz energética, com a inclusão de fontes limpas e renováveis, e a geração de resíduos, com foco na sua redução e no uso de tecnologias ambientalmente amigáveis para o seu tratamento, figuram entre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU.

Embora esteja entre as maiores economias mundiais, o Brasil ainda apresenta condições precárias na destinação de quase metade do lixo gerado – mais precisamente, de 45% das mais de 79 milhões de toneladas anuais. A matriz elétrica brasileira, por sua vez, apesar de ser majoritariamente renovável, concentra 67% de sua origem em fontes hídricas – que são altamente dependentes de condições climáticas e cujo crescimento é limitado pela disponibilidade de recursos naturais. Uma matriz diversificada e descentralizada, baseada em fontes renováveis, é uma das soluções para atender à crescente demanda energética, evitando a susceptibilidade do sistema a fatores de origem externa.

Nesse contexto, os sistemas de recuperação energética de resíduos sólidos destacam-se como uma alternativa promissora, pois possibilitam tratar os resíduos, reduzir o volume destinado aos aterros sanitários e contribuir com a diversificação da matriz energética.

A implantação desses sistemas na gestão integrada de resíduos sólidos, entretanto, deve seguir a hierarquia preconizada na Política Nacional de Resíduos Sólidos: não geração (prevenção), redução, reutilização, reciclagem, tratamento e disposição final ambientalmente adequada. O projeto e o dimensionamento desses sistemas dependem de um conhecimento profundo das características dos resíduos locais – que, por sua vez, são heterogêneas e variáveis em função das características de quem os produz, o que torna o processo complexo, oneroso e, por muitas vezes, impreciso.

Nesse sentido, o principal objetivo do referido projeto de pesquisa, sediado na UFABC, é desenvolver métodos de amostragem e ferramentas para tratamento de dados, com o intuito de auxiliar gestores municipais na avaliação e tomada de decisão sobre a implantação de sistemas de tratamento de resíduos sólidos urbanos, com recuperação energética, a partir de um estudo de caso nos municípios de Santo André e Itaquaquecetuba, localizados no Estado de São Paulo.

Como resultado, pretende-se propor uma metodologia de amostragem e uma ferramenta computacional que auxiliem os gestores municipais em dois grandes desafios, ambos relativos ao processo de análise e dimensionamento de sistemas de gestão integrada de resíduos sólidos com recuperação energética:

1. A determinação das propriedades fundamentais dos resíduos sólidos locais, para um dimensionamento com confiabilidade, em menor tempo e com menores custos;

2. A escolha das tecnologias que irão compor o sistema de gestão integrada de resíduos, considerando-se as características dos resíduos locais e a hierarquia estabelecida na Política Nacional de Resíduos Sólidos. 

Local de separação do lixo onde pessoas separam diversos itens

Foto tirada durante a gravimetria realizada nos resíduos de Itaquaquecetuba.

 

Pesquisadores participantes

O prazo de execução do projeto é de três anos, a partir do mês de novembro de 2021. A equipe de pesquisadores é coordenada pela professora Juliana Tófano de Campos Leite, e composta, exclusivamente, por pesquisadores da UFABC, vinculados ao CECS e ao Programa de Pós-Graduação em Energia (PPGENE): Graziella Colato Antonio, Marcelo Modesto da Silva, Carlos Alberto Flavio Correa (professores); Kelly Cristina Rosa Drudi (pós-doutoranda); Kelly Danielly da Silva Alcantara Fratta e Katherine Benites Bonato Marana (doutorandas) e Lais Cassaro (mestranda).

“Para a nossa equipe de pesquisadores, esse projeto é a realização de um grande objetivo: a aplicação dos resultados científicos para o desenvolvimento e a inovação tecnológica nacional. Iniciamos as nossas pesquisas com resíduos sólidos urbanos há mais de 10 anos e, desde então, geramos muitos resultados relevantes para esse setor. Entretanto, essas informações, enquanto isoladas em seus próprios contextos, não revelam todo o seu potencial de contribuição com a sociedade. O edital entre a Fapesp e a Sabesp, que se enquadra na modalidade de Inovação Tecnológica (PITE 2), nos abriu a oportunidade de, a partir do conhecimento adquirido nesses anos de estudo, buscar soluções para os desafios tecnológicos do setor de gestão de resíduos sólidos urbanos, a partir da análise de situações reais, formuladas a partir de critérios científicos”, afirma a professora Juliana.

A coordenadora elenca, ainda, algumas das contribuições do projeto para a UFABC: “O projeto foi contemplado com duas bolsas que serão vinculadas ao Programa de Pós-graduação em Energia, sendo uma de pós-doutorado, uma de mestrado, além de duas bolsas de treinamento técnico. Além das bolsas, o projeto também trará recursos para a Universidade com a compra de equipamentos fundamentais para a sua execução, que serão alocados nos laboratórios relacionados à linha de pesquisa em recuperação energética de biomassas residuais. Com isso, cumpre também o seu papel com a sociedade e com a ciência na formação de profissionais capacitados para atuar na área de resíduos sólidos urbanos”. 

Imagem de um local de separação do lixo

Foto tirada durante a gravimetria realizada nos resíduos de Itaquaquecetuba.

 

Texto: Assessoria de Comunicação e Imprensa da UFABC 
Fotos: Katherine Marana e Kelly Fratta, discentes do Programa de Pós-Graduação em Energia da UFABC.

Registrado em: Destaques
Fim do conteúdo da página