Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Saiba mais sobre as ações para mitigar os efeitos da maternidade na carreira científica das mulheres
Início do conteúdo da página

Saiba mais sobre as ações para mitigar os efeitos da maternidade na carreira científica das mulheres

Publicado: Quinta, 14 de Outubro de 2021, 15h23

As agências de fomento à pesquisa, nacionais e internacionais, têm adotado  estratégias para mitigar os efeitos significativos da maternidade na carreira científica das mulheres nas universidades. O CNPq, recentemente, passou a incluir na Plataforma Lattes a possibilidade de adição de informação sobre o período de licença maternidade - e, desde 2005, mantém o Programa Mulher e Ciência, que promove a participação de meninas e mulheres na ciência e pesquisas sobre as relações de gênero no campo da produção científica. Além do CNPq, a FAPERJ, a FAPERGS e agências privadas, como o Instituto Serrapilheira, levam em consideração a maternidade para avaliação da trajetória acadêmica de pesquisadoras mães nas solicitações de bolsas e recursos financeiros. Os dados mostram que, no Brasil, o percentual de mulheres se reduz conforme se avança na carreira científica – mesmo sendo maioria na iniciação científica, são apenas 36% das bolsistas de produtividade em pesquisa (DE ASSIS, C.; BOUERI, A.G., 2018).

Essas políticas afirmativas são fundamentadas em evidências científicas que mostram o efeito da maternidade na carreira acadêmica de mulheres, impactando-as por vários anos (MACHADO et al, 2019). Outras evidências demonstram que as desigualdades de gênero relacionadas à maternidade foram potencializadas durante a pandemia Covid-19 (STANISÇUASKI et al.,2020).

No Brasil, destaca-se o movimento Parents in Science,  pioneiro no levantamento de dados sobre as consequências da maternidade na carreira científica de mulheres e homens, e que levaram a mudanças concretas no cenário científico brasileiro. A organização também realizou um levantamento extensivo sobre os impactos da pandemia de COVID-19 na vida de cientistas aqui no Brasil.

Com base nas crescentes ações e publicações técnicas sobre o tema, incluindo as  demandas de comunidade interna, a UFABC iniciou, nos Editais 01/2021 (PIC/PIBIC/PIBITI/PIBIC-AF), 04/2021 (PDPD) e 05/2021 (PDPD-AF), uma política de apoio às mães discentes e docentes da nossa comunidade. Dessa forma, o Comitê de Iniciação Científica (CPIC-ProPes) propôs pontuar mães cientistas como forma de minimizar os impactos das desigualdades de gênero em suas trajetórias. 

Assim como todas iniciativas precursoras, tais políticas podem ser aprimoradas a partir da discussão e das experiências de todas e todos que compõem as nossas comunidades acadêmicas. Nesse sentido, faz-se imprescindível a ampla participação nos espaços de diálogo, proposição e deliberação constituídos em nossa Universidade. São nestes espaços - conselhos, comitês e grupos de trabalho - que os debates são alimentados, fundamentados e apurados para, então, comporem as políticas e editais que cumprem as funções sociais de nossa universidade - promover o ensino, a pesquisa, a extensão, a cultura e a inovação em consonância com os parâmetros de excelência, inclusão e permanência de todas e todos que formam a comunidade UFABC.

(Matéria redigida com o apoio do Comitê de Iniciação Científica da Pró-reitoria de Pesquisa da UFABC e da Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Políticas Afirmativas da UFABC)

Referências 

DE ASSIS, C.; BOUERI, A.G. Sem considerar a maternidade, a ciência brasileira ainda penaliza mulheres. Revista Gênero e Número, 2018.

MACHADO et al. Parent in Science: the impact of parenthood on the scientific career in Brazil, 2019 IEEE/ACM 2nd International Workshop on Gender Equality in Software Engineering, 2019.

SAID, T. Movimento Parent In Science auxilia mães cientistas a manter carreira. Disponível em https://jornal.usp.br/universidade/movimento-parent-in-science-auxilia-maes-cientistas-a-manter-carreira/. 02 de fevereiro de 2021.

STANISÇUASKI et al.  Impact of COVID-19 on academic mothers, Science, 2020. doi:10.1126/science.abc2740.

STANISÇUASKI et al. Gender, Race and Parenthood Impact Academic Productivity During the COVID-19 Pandemic: From Survey to Action, Front Psychol, 2021. https://doi.org/10.3389/fpsyg.2021.663252

STANISÇUASKI et al. Editais que incluem maternidade. s/d.

Registrado em: Notícias
Fim do conteúdo da página