Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Estudo do grupo Ação Covid-19 sobre ritmo da vacinação e controle da pandemia é destaque na imprensa
Início do conteúdo da página

Estudo do grupo Ação Covid-19 sobre ritmo da vacinação e controle da pandemia é destaque na imprensa

Publicado: Terça, 08 de Junho de 2021, 14h41

Pesquisa do grupo Ação Covid-19, que conta com pesquisadores(as) da UFABC, mostra que o controle da pandemia no país exige pelo menos três vezes mais vacinados

Perto de completar cinco meses, a vacinação contra a covid-19 no Brasil ainda está longe de controlar as taxas de transmissão do vírus entre a população. Hoje, Distrito Federal e 20 Estados têm de imunizar mais de 30% de suas populações para assistir queda sustentada dos casos da doença, indica estudo do grupo de pesquisa Ação Covid-19.

O estudo “Sob que condições a vacinação conteria a pandemia no Brasil?”, foi publicado em 30 de Março de 2021, para o período de 1 a 30 de Abril (exercício 1) e atualizado em 06 de junho de 2021, para o período entre 19 de Abril e 19 de Maio de 2021 (exercício 2). Os resultados observados apontam que o cenário da pandemia no Brasil mostra a diminuição da necessidade de imunização mínima da população em 13 dos 27 Estados.

estudo grupo acao covid 19 controle pandemia e vacinacao

No entanto, a situação se agravou em 8 Estados, com a necessidade de cobertura vacinal maior do que o estudo anterior. Também se observa que 13 Estados ainda necessitam vacinar mais de 40% de sua população para que se inicie uma redução significativa e contínua do número de casos de Covid-19.

Adicionalmente, observa-se a dinâmica de “estouro de bolhas de proteção" em diversas localidades, conforme anteriormente descrito pelo coletivo Ação Covid-19 . Este fenômeno aponta para o equilíbrio instável entre populações imunes e suscetíveis e tem o potencial de gerar diversos surtos preocupantes. Por fim, a comparação da porcentagem atingida da cobertura vacinal mínima por cada Estado revela que a priorização na distribuição de vacinas no Brasil não é feita de forma acurada.

Por isso, o grupo enfatiza a necessidade que o governo federal desenvolva e aprimore metodologias como a utilizada neste estudo, para que os imunizantes alcancem as parcelas da população brasileira que estão mais impactadas pela pandemia a cada mês.

Acesse as notícias que dão destaque ao estudo:

Jornal Valor Econômico:

Controle da pandemia no país exige pelo menos três vezes mais vacinados

Jornal NEXO - divulgação acadêmica:

Como ações locais em comunidades do Rio de Janeiro impactaram o avanço do contágio do novo coronavírus

Le Monde (internacional)

L’accueil de la Copa America suscite l’indignation d’une partie des Brésiliens

Canal MyNews

Entrevista com o José Paulo Guedes Pinto, professor da UFABC e coordenador do Ação Covid-19, sobre pesquisa que ritmo lento de vacinação no Brasil

O Globo

'Não dá para relaxar o distanciamento social sem vacina. É ciência, não é mágica', diz coordenador do Grupo Ação Covid-19

RPC  - afiliada da Rede Globo - Jornal Meio Dia Paraná - Curitiba

PR é estado que precisa da maior porcentagem da população vacinada para controlar pandemia

Sobre o Grupo Ação Covid-19 e o Estudo sobre o ritmo da vacinação

Criado em maio de 2020, o grupo de pesquisa interdisciplinar Ação COVID-19 reúne cientistas e pesquisadores de diversas áreas do saber para estudar o desenvolvimento da pandemia no Brasil.

Consulte o estudo “Sob que condições a vacinação conteria a pandemia no Brasil?”.


Texto: Grupo Ação COVID-19. Texto adaptado pela Assessoria de Comunicação e Imprensa da Universidade Federal do ABC (ACI UFABC).

Ação Covid-19
Registrado em: Notícias
Marcador(es):
Fim do conteúdo da página